Suposto membro da Al-Qaeda diz ter degolado 116

Um suspeito de ser membro da organização terrorista Al-Qaeda, detido há dois meses pelas Forças de Segurança iraquianas, confessou ter degolado 116 reféns, informou nesta quinta-feira o porta-voz do Ministério do Interior, Raid Mafrayi. Segundo a televisão iraquiana, Hussein Fahmi Badr, de 28 anos, foi detido durante a maior operação militar contra a organização, dirigida no Iraque pelo jordaniano Abu Musab al-Zarqawi. Dois meses depois da detenção, ele confessou ter seqüestrado e decapitado 116 pessoas. Entre as vítimas está o japonês Shosei Koda, assassinado por seus seqüestradores em 2004, disse Mafrayi à televisão. O porta-voz explicou que Badr foi detido no oeste do Iraque pela brigada "O lobo", ligada ao ministério da Defesa, graças às informações fornecidas pelos habitantes da região. O oeste iraquiano conta com extensas áreas nas fronteiras com a Síria, Jordânia e Arábia Saudita consideradas importantes núcleos da insurgência. Mafrayi acrescentou que, durante esta operação, o exército deteve outras três pessoas suspeitas de pertencer à Al-Qaeda e apreendeu um grande estoque de armamento e munição.

Agencia Estado,

02 Março 2006 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.