Suposto membro da Al-Qaeda é expulso da corte durante julgamento

O juiz turco Zafer Baskurt expulsou da corte nesta segunda-feira um suposto seguidor da rede Al-Qaeda que se recusou a ficar de pé diante do júri na audiência inaugural de seu julgamento. O sírio Loai Mohammad Haj Bakr al-Saqa é acusado de elaborar uma série de atentados contra Istambul. Saqa é julgado na Turquia ao lado de outros 72 supostos membros da Al-Qaeda por suspeita de envolvimento numa série de atentados suicidas contra Istambul que resultou na morte de 58 pessoas em 2003. O juiz Baskurt pediu ao réu em diversas ocasiões que ficasse de pé diante da corte e ordenou que ele fosse retirado do recinto depois de recusar-se verbalmente. "Minhas crenças me impedem de ficar em pé diante de pessoas como você", respondeu Saqa. Enquanto era escoltado por soldados para fora do tribunal, Saqa gritou: "eu lutei uma guerra santa, eu matei americanos, não ficaria em pé diante de você". Baskurt também determinou que uma pessoa que assistia à audiência fosse retirada das tribunas depois de gritar frases de apoio a Saqa. Mais cedo, o juiz impediu o advogado de defesa Osman Karahan de trabalhar no caso por um ano. Ele representa 14 dos 73 réus e é acusado de ajudar a Al-Qaeda entregando dinheiro a um de seus clientes. Ao término da audiência, o juiz libertou cinco dos 31 suspeitos detidos à espera de julgamento e declarou recesso. Os trabalhos da corte devem ser retomados em 22 de maio.

Agencia Estado,

20 Março 2006 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.