Hani Mohammed/AP Photo
Hani Mohammed/AP Photo

Supostos ataques da Al-Qaeda matam 40 agentes de segurança no Iêmen

Atentados em cidades da província de Shabwa, no sul do país, reforçam instabilidade na região

O Estado de S. Paulo,

20 de setembro de 2013 | 12h18

ÁDEN, IÊMEN - Supostos militantes da Al Qaeda mataram cerca de 40 soldados e policiais em ataques a dois alvos de segurança no sul do Iêmen nesta sexta-feira (20), segundo as autoridades.

Cerca de 30 soldados morreram quando dois carros-bomba explodiram em um campo militar em Al-Nashama. O primeiro carro explodiu em meio a um grupo de soldados no portão do acampamento de Al Nashama, enquanto o motorista tentava entrar no local. O outro carro-bomba já estava dentro do campo ao ser detonado, disse uma das fontes de segurança.

Em Mayfaa, atiradores fortemente armados abriram fogo em um quartel-general, matando cerca de dez pessoas antes de escaparem em veículos militares roubados, disseram moradores locais.

Os dois casos ocorreram na província de Shabwa, uma conturbada região sem lei que já foi cenário de muitos confrontos em anos recentes entre militantes islâmicos e forças de segurança.

Autoridades acreditam que membros da Al Qaeda na Península Arábica (AQPA) foram responsáveis pelos dois ataques, disseram fontes de segurança. A AQPA é vista por países ocidentais como uma das ramificações mais perigosas da Al Qaeda, por ter tentando explodir artefatos em linhas aéreas internacionais.

Manter a estabilidade no empobrecido Iêmen é uma prioridade para Washington e Estados do Golfo por causa da localização do país, próximo a importantes rotas petrolíferas e à Arábia Saudita, maior exportador de petróleo do mundo. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
IêmenAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.