Supostos aviões americanos matam pelo menos 8 no Paquistão

Dois mísseis foram lançados na região da fronteira com o Afeganistão, onde estariam bases de extremistas

Agência Estado e Associated Press,

22 de dezembro de 2008 | 08h44

Pelo menos oito pessoas morreram nesta segunda-feira, 22, em diversos ataques com mísseis supostamente lançados por aviões americanos não tripulados, na instável região noroeste do Paquistão, afirmaram autoridades e testemunhas.   Um funcionário local de segurança, Bakht Janan, disse que um pequeno avião começou a sobrevoar em círculos a aldeia de Kari Khel por volta das 3 horas (hora local) e pouco depois disparou mísseis em dois veículos. Algumas testemunhas afirmam que de um dos veículos abriram fogo com uma arma antiaérea contra a aeronave.   Quatro pessoas morreram pelo impacto dos mísseis no veículo em uma casa próxima, que parecia uma fortaleza. Outras quatro morreram e outra foi ferida no segundo veículo, a 8 quilômetros de distância de uma estrada de terra. Janan afirmou que perto do primeiro veículo foi encontrado um míssil que não explodiu. Um morador do povoado, Yar Mohammad, afirmou que um grupo local do movimento extremista Taleban retirou os cadáveres dos escombros e isolou a área, localizada 15 quilômetros ao sul de Wana, a principal localidade da zona tribal do Waziristão do Sul, perto da fronteira com o Afeganistão.   Os Estados Unidos lançaram desde agosto pelo menos 30 mísseis em zonas tribais semi-autônomas contra supostos milicianos da rede extremista Al-Qaeda e do Taleban. Os mísseis mataram dezenas de milicianos. Porém o governo do Paquistão considera essas operações uma violação da soberania nacional e uma ação que atrapalha a própria guerra ao terrorismo, pois gera descontentamento na população comum, em alguns casos atingida.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.