Supostos militantes matam 5 no sul da Tailândia

Um policial, três muçulmanos e um líder comunitário foram mortos por supostos militantes muçulmanos no sul da Tailândia, segundo informou hoje a polícia. O coronel da polícia Rapeepong Sukpaiboon disse que dois homens dispararam contra o policial enquanto ele ia para o trabalho, na província de Pattani.

AE, Agência Estado

20 de junho de 2011 | 13h45

Também em Pattani, quatro agressores em duas motocicletas mataram a tiros um muçulmano de 34 anos. Outras quatro pessoas mataram um homem de 54 anos, também muçulmano, e outro muçulmano foi morto enquanto dirigia para casa em uma motocicleta.

Na província de Yala, um líder comunitário local, budista, foi morto a tiros e sua mulher ficou gravemente ferida quando um homem armado os atacou, no momento em que eles deixavam uma festa de casamento.

Mais de 4,3 mil pessoas foram mortas nas três províncias do sul da Tailândia desde o início de uma insurgência islâmica, em 2004. As províncias são áreas de maioria muçulmana, em um país de predomínio de budistas. Acredita-se que os militantes usem táticas terroristas para expulsar moradores budistas, porém também atacam muçulmanos considerados colaboradores do governo. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.