Supostos rebeldes iranianos matam 21 pessoas

Supostos rebeldes disfarçados de forças de segurança mataram 21 pessoas em uma rodovia no sudeste do Irã, informou nesta sexta-feira o general Esmaeil Ahmadi Moghaddam, diretor da polícia nacional. Moghaddam acusou agentes secretos americanos e britânicos de envolvimento na ação rebelde perpetrada no fim da noite da última sexta-feira, publicou a agência estatal de notícias Irna. De acordo com ele, os rebeldes estariam disfarçados de policiais e soldados. Eles começaram a interceptar as pessoas em um ponto da rodovia Zabol-Zahedan na província de Sistan-Baluquistão, que faz fronteira com o Paquistão e o Afeganistão, prosseguiu a Irna, sempre citando o general. "As pessoas pensavam que eles eram policiais iranianos", disse Moghaddam, que nesta sexta-feira partiu de Teerã com destino a Zahedan, capital de Sistan-Baluquistão, para visitar o local do ataque. Não se sabe de muitos grupos rebeldes conhecidos em ação no sudeste do Irã, mas a região é famosa por abrigar narcotraficantes que ocasionalmente entram em choque com as forças de segurança e seqüestram pessoas. Moghaddam disse que a polícia dispõe de informações segundo as quais agentes secretos de Estados Unidos e Grã-Bretanha teriam se encontrado com representantes de rebeldes iranianos, mas não forneceu detalhes. O Irã já acusou EUA e Grã-Bretanha de envolvimento em outros episódios recentes de violência no país, mas Washington e Londres negam sistematicamente as denúncias iranianas.

Agencia Estado,

17 Março 2006 | 15h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.