Supostos rebeldes islâmicos são mortos em ofensiva na Argélia

O Exército argelino desencadeou uma ampla ofensiva militar contra supostos rebeldes islâmicos, provocando a morte de pelo menos 19 suspeitos, entre eles o emir regional, informou a imprensa argelina nesta segunda-feira.Cerca de 800 soldados, policiais e milicianos apoiados pelo governo participaram da ofensiva desencadeada no domingo nos arredores de Annaba, 600 quilômetros a leste de Argel, informou o jornal Liberté.O alvo da ofensiva era um grupo de supostos extremistas islâmicos vinculados ao Grupo Salafista de Pregação e Combate, uma organização rebelde que rejeitou uma oferta de anistia feita pelo governo do presidente Abdelaziz Bouteflika.De acordo com o Liberté, o líder do grupo, identificado somente como Merouani, estava entre os 19 mortos. Nem o governo nem o Exército se pronunciaram sobre o ataque. Não se sabe se houve vítimas entre os soldados, policiais e milicianos que participaram da ofensiva.A oferta de anistia aos rebeldes tem como objetivo reconciliar uma nação dividida por mais de uma década de violência.Mais de 150.000 pessoas - entre supostos extremistas, civis e forças de segurança - já perderam a vida desde o início de uma rebelião islâmica em 1992, quando o Exército cancelou eleições cuja vitória de partidos islâmicos parecia certa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.