Supostro franco-atirador fará a própria defesa nos EUA

Um juiz garantiu a John Allen Muhammad o direito de ser o próprio advogado em seu julgamento por homicídio. Muhammad é acusado de ser o atirador misterioso que excutou 10 pessoas à distância, usando um rifle, na região de Washington, há um ano, e seu julgamento será o primeiro do caso que, segundo os promotores, envolvia um esquema para extorquir US$ 10 milhões das autoridades. O juiz explicou ao júri que os advogandos que vinham representando o réu passarão a atuar apenas como conselheiros. Espera-se que outro suspeito, Lee Boyd Malvo, supostamenre um cúmplice de John Allen Muhammad, deponha durante o julgamento, no qual o réu é acusado da morte de Dean Harold Meyers, a sétima vítima do atirador misterioso.Muhammad e Malvo, que deve ira julgamento no próximo mês, foram presos juntos. Ambos correm o risco de uma condenação à morte. O Estado da Virginia já executou 89 pessoas desde que a pena de morte foi autorizada nos EUA, em 1976

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.