Suprema Corte da Índia mantém proibição de relação sexual gay

A Suprema Corte da Índia se recusou a revisar uma lei de um mês atrás que proíbe o sexo homossexual na maior democracia do mundo, mantendo a decisão que enfureceu o partido governista e ativistas de direitos humanos em todo o mundo.

Reuters

28 de janeiro de 2014 | 14h01

O governo e sete entidades de direitos humanos haviam entrado com petições pedindo à Corte que revisasse sua decisão, na esperança de que fosse revertida.

"A Suprema Corte deu as costas a estas entidades e seu sofrimento", disse Arvind Narrain, um dos advogados que entraram com as petições.

"O tribunal teve uma oportunidade de se corrigir hoje. Este tribunal deveria ser para todos os seres humanos".

Em 11 de dezembro, a mais alta instância do judiciário indiano reinstaurou uma proibição dos tempos coloniais a respeito do sexo homossexual, na esteira de um período de quatro anos de descriminalização que ajudou a trazer a homossexualidade à luz do dia no país socialmente conservador.

(Por Shyamantha Asokan)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAHOMOSSEXUAISPROIBICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.