Suprema corte do Egito declara parte da lei de eleições como inconstitucional

A Suprema Corte Constitucional do Egito declarou inconstitucional a cláusula da lei de eleições do país que determina distritos eleitorais. A decisão deste domingo deve atrasar as eleições parlamentares, que estão agendadas para começar ainda no mês de março.

Estadão Conteúdo

01 Março 2015 | 11h49

Outra corte deve decidir se o pleito será adiado, mas a data da reunião ainda terá que ser decidida pela Comissão Eleitoral do país. O Egito não tem eleições parlamentares desde 2012, quando a Suprema Corte Constitucional afirmou que os membros da Câmara não foram eleitos em conformidade com as leis do país.

A eleição parlamentar é a terceira e última etapa de um programa anunciado pelo então chefe-militar, Abdel-Fattah el-Sissi, quando o governo do presidente Mohammed Morsi foi derrubado, em julho de 2013.

As duas primeiras etapas foram a adoção de uma nova Constituição e a eleição presidencial, que elegeu Abdel-Fattah el-Sissi, em 2014. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Egito eleições parlamentares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.