Suprema Corte espanhola bane partido ligado ao ETA

A Suprema Corte da Espanha baniu hoje um partido político basco por seus laços com o grupo armado separatista ETA. O presidente da corte, Francisco José Hernando, disse que foram aceitos os argumentos dos promotores, segundo os quais o Ação Nacionalista Basca era um instrumento do ETA e uma continuação do braço político do grupo, o Batasuna. A Ação Nacionalista Basca é um dos dois partidos que tiveram suas atividades suspensas pelo juiz da Corte Nacional Baltazar Garzón, um mês antes das eleições gerais de março. Com isso, nenhuma sigla basca pró-independência concorreu ao Parlamento espanhol.Hernando disse que começará amanhã a estudar o segundo caso, referente ao Partido Comunista das Terras Bascas. O Batasuna foi banido em 2003 por suas ligações com o ETA, organização que já matou mais de 800 pessoas desde 1968, em sua campanha por um Estado basco independente.Como reação à proscrição, os membros do Batasuna reagruparam-se nas duas siglas pouco conhecidas, lançando candidatos pró-independência. O porta-voz do Partido Socialista saudou a decisão judicial, afirmando que ela mostrava a eficiência do sistema judiciário.A Espanha, a União Européia e os Estados Unidos consideram o ETA um grupo terrorista. O grupo matou seis pessoas desde que abandonou um cessar-fogo em dezembro de 2005. A última vítima foi um policial, que foi vítima de uma bomba em maio. A região basca é uma das 17 regiões semi-autônomas da Espanha e uma das mais pujantes economicamente. Possui sua própria língua e cultura e também um forte sentimento nacionalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.