Suprema Corte mantém pena de ex-presidente

A Suprema Corte de Israel manteve ontem a condenação do ex-presidente Moshe Katsav por estupro. Ele havia recorrido da sentença de sete anos de prisão. Três juízes responsáveis pelo caso rejeitaram o argumento dos da defesa, que afirmava que as relações sexuais teriam sido consensuais. Katsav também terá de pagar uma indenização total de US$ 35 mil para as duas vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.