Suprema Corte rejeita rever caso de Assange e abre caminho para extradição

A Suprema Corte britânica rejeitou ontem por unanimidade o pedido do fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, de reabertura de seu caso, o que evitaria sua extradição para a Suécia, que quer julgá-lo por crimes sexuais. Os advogados do australiano haviam solicitado alguns dias atrás a revisão do caso. Com a decisão, o processo de extradição se encerra nos tribunais britânicos e Assange fica mais perto de ser enviado para a Suécia - em até 14 dias. A última alternativa de Assange é um recurso na Corte Europeia de Direitos Humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.