Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Supremacista branco autor de massacre em igreja de Charleston é condenado à morte

Dylann Roof, de 22 anos, matou suas vítimas durante reunião de um grupo de estudos da Bíblia na Emanuel African Methodist Episcopal Church, em 2015

O Estado de S. Paulo

10 Janeiro 2017 | 20h15

Charleston, EUA - Um júri nos Estados Unidos condenou nesta terça-feira, 10, o supremacista branco Dylann Roof à morte pelo assassinato de nove fiéis negros durante um círculo de estudos bíblicos em uma igreja de Charleston, Carolina do Sul,  em 2015. 

No mês passado, o mesmo júri considerou Roof, de 22 anos, culpado das 33 acusações federais contra ele, incluindo crimes de ódio que resultado em morte. 

Roof matou suas vítimas durante reunião de um grupo de estudos da Bíblia na Emanuel African Methodist Episcopal Church. Antes de disparar, sentou-se ao lado das vítimas, recebeu uma Bíblia e ouviu o debate. Polly Sheppard, de 72 anos, foi poupada para que pudesse “contar a história”.

A defesa não apresentou testemunhdas durante os sete dias de julgamento. Ela tentou apresentar evidências de que Roof tem problemas mentais, mas o juiz Richard Gergel afirmou que o argumento não tem nada a ver com o fato de ele ser culpado ou inocente. 

O rapaz pediu ao juíz para fazer sua própria defesa durante a fase que designou a penalidade contra ele. / REUTERS e AP 

Mais conteúdo sobre:
Carolina do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.