Supremo dos EUA analisa caso de mexicano condenado à morte

A Suprema Corte dos Estados Unidos aceitou analisar a apelação de um cidadão mexicano que está no corredor da morte do Texas, entrando num debate internacional sobre os direitos de estrangeiros envolvidos em casos de pena capital. O Tribunal Mundial de Haia já decidiu que os EUA violaram os direitos de 51 mexicanos que aguardam no corredor da morte, incluindo José Medellín, cuja apelação será ouvida pelo Supremo americano.O tribunal de Haia, das Nações Unidas, ordenou que as autoridades americanas concedessem aos condenados uma "revisão significativa" de seus julgamentos e sentenças, porque o governo dos EUA falhou em alertar o país de origem dos réus. A apelação de Medellín à Suprema corte tem o apoio de dezenas de países, grupos de defesa dos direitos humanos, diplomatas e da União Européia. Todos argumentam que os Estados Unidos desprezaram a Convenção de Viena, que exige que o "governo aprisionante" notifique o estrangeiro detido do direito de procurar um consulado ou embaixada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.