Supremo Tribunal do Egito anuncia greve

O Supremo Tribunal Constitucional, instância mais alta da justiça no Egito, declarou ontem greve por tempo indeterminado, no dia em que deveria pronunciar-se sobre a legitimidade de duas assembleias controladas por aliados do presidente Mohammed Morsi.

AE, Agência Estado

03 de dezembro de 2012 | 11h05

Os magistrados deveriam ter decidido, neste domingo, sobre a legalidade do conselho que criou uma nova e controversa Constituição para o país. Além disso, também deveriam ter analisado a legitimidade da alta câmara do parlamento egípcio. No entanto, a corte acabou adiando as sessões e anunciando a greve.

A paralisação se soma aos planos da oposição de fazer um protesto no palácio presidencial amanhã, levando a crise política do país ao pior nível em quase dois anos desde que o levante popular resultou na deposição do ex-ditador Hosni Mubarak.

Os juízes dos tribunais de apelação já estavam em greve por tempo indeterminado, juntando-se aos colegas de outras cortes que suspenderam o trabalho na semana passada para protestar contra o que eles consideraram um assalto de Morsi ao judiciário. Há cerca de duas semanas, Morsi ampliou seus próprios poderes, impedindo que futuras decisões suas sejam contestadas judicialmente.

A última vez em que o Egito registrou uma greve geral do judiciário foi em 1919, quando magistrados se juntaram a um levante contra o domínio colonial britânico.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EgitoCriseGreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.