Surge a ala moderada do Taleban

Depois do revés militar sofrido nos últimos dias, começa a aparecer a ala moderada do Taleban, muito mais numerosa no Paquistão do que no próprio Afeganistão, informaram hoje fontes diplomáticas japonesas em Islamabad, que citaram oficiais do exército paquistanês. A denominada "ala dos cinco talebans" - encabeçada pelo vice-ministro da Mineração, Hanaki, o primeiro-secretário da embaixada taleban no Paquistão, Fawzi, e o membro da Assembléia Suprema, Zarki - vem se reunindo no Paquistão nos últimos dias com representantes da etnia pashtun a fim de eleger um novo líder supremo taleban, que ocuparia o lugar do mulá Mohammad Omar. "O objetivo é oferecer aos vencedores um grupo dirigente apresentável, que possa participar de alguma forma do processo de planejamento e reconstrução do país", informou uma das fontes. Segundo os diplomatas, "a ala dos cinco" poderia receber em breve o apoio de muitos dos chefes militares talebans que fugiram das províncias conquistadas nos últimos dias pela Aliança do Norte e que estariam buscando refúgio no Paquistão. "É uma tentativa extrema de sobrevivência", explicou a fonte. Analistas afirmam que trata-se de uma tentativa, pelo menos no momento, sem possibilidade de êxito, levando-se em conta a posição dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Aliança do Norte e Irã, todos contrários à inclusão de elementos do Taleban num futuro governo no Afeganistão. "Mas é uma hipótese que deverá ser considerada se a Aliança do Norte regressar aos velhos vícios das lutas internas, incapazes de assegurar um governo eficaz", afirmou um diplomata japonês que já trabalhou na ONU e que pediu para não ser identificado. O porta-voz do governo japonês, Yasuo Fukuda, reiterou a plena disposição de seu país de participar ativamente nos esforços internacionais de pacificação e reconstrução do país. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.