Surpreendido, McCain diz não saber quantas casas tem

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, John McCain, afirmou hoje que não sabe quantas residências possui. Surpreendido pela pergunta de um repórter do jornal The Politico, McCain tentou fugir da resposta. "Acho que... Bom, vou pedir para minha equipe te dizer." A resposta chegou pouco depois à redação do jornal: são quatro casas em três Estados diferentes, Arizona, Califórnia e Virgínia. No entanto, a revista Newsweek afirmou que McCain e sua mulher, Cindy, têm pelo menos sete propriedades.O número exato de casas da família McCain importa menos do que a polêmica criada em torno da declaração. Durante as últimas semanas, os republicanos vinham tentando colocar o rótulo de elitista no candidato democrata, Barack Obama, e as declarações do republicano foram interpretadas por vários analistas como as de um milionário que não sabe exatamente o tamanho de sua fortuna. A campanha de Obama foi rápida e usou a polêmica para atacar McCain. Os democratas distribuíram e-mails para a imprensa com as declarações de McCain e usaram aliados, como o governador de Virgínia, Tim Kaine - um dos cotados a vice na chapa democrata -, para atacar o republicano em entrevistas na televisão. Além disso, a campanha democrata colocou no ar um comercial de TV mostrando as sete casas de McCain, ressaltando o valor total das mansões: US$ 13 milhões. No fim, diante de uma foto da Casa Branca, um locutor diz: "Esta é a única casa para a qual os americanos não podem deixar McCain se mudar."A fortuna de McCain e de sua mulher - estimada em mais de US$ 100 milhões - é um alvo fácil para os democratas. A estratégia é muito parecida com a que os próprios republicanos usaram para atacar o democrata John Kerry nas eleições presidenciais de 2004. Kerry e a sua esposa, Teresa Heinz, herdeira de uma gigante do setor alimentício, tinham cinco mansões.Nova estratégiaSemana passada, durante evento de campanha com o reverendo Rick Warren, McCain disse que considerava rico quem tinha pelo menos US$ 5 milhões. Obama não perdeu a chance de criticar o rival. "Quem ganha US$ 3 milhões, segundo essa definição de McCain, seria então da classe média." O discurso agressivo e as respostas rápidas fazem parte da nova estratégia da campanha de Obama, que tenta recuperar o terreno perdido para McCain durante o tour pela Europa e pelo Oriente Médio e os nove dias de férias no Havaí.Obama reportou hoje despesa de US$ 55 milhões no mês passado, seu maior gasto mensal desde que começou a campanha presidencial, no ano passado. Já McCain, com números mais modestos, gastou US$ 32 milhões em julho, também seu maior custo mensal em toda campanha presidencial. De acordo com documentos entregues à Comissão Federal Eleitoral, Obama entrou em agosto com US$ 66 milhões em caixa, enquanto McCain tem US$ 21 milhões.

AE-AP, Agencia Estado

21 de agosto de 2008 | 21h24

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesEUAJohn McCainBarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.