Suspeito atacar embaixada de Israel na Índia tinha contatos iranianos

Explosão contra carro diplomático em fevereiro coincidiu com tentativa de atentado na Georgia

Reuters

16 de março de 2012 | 07h45

NOVA DÉLHI - Um suspeito ligado à explosão de uma bomba que tinha como alvo autoridades israelenses na Índia estava em contato com pessoas de origem iraniana, informou um comissário da polícia de Nova Délhi nesta sexta-feira, 16, acrescentando que mandados de prisão foram emitidos para três pessoas.

A explosão de 13 de fevereiro, que feriu a esposa de um adido de defesa de Israel, seu motorista e dois outros funcionários, coincidiu com um ataque frustrado contra a equipe diplomática israelense em Tbilisi, na Geórgia, e Israel acusou o Irã de estar por trás de ambos os casos.

O policial indiano Brijesh Gupta disse que havia ligações entre a explosão em Nova Délhi e outra em Bangcoc, na Tailândia. Em 7 de março, um jornalista indiano freelancer da Agência de Notícias da República Islâmica foi preso por envolvimento com a explosão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.