Suspeito de ataque em Boston foi morto em tiroteiro

Autoridades federais norte-americanas informaram que o homem morto em um tiroteio no Massachusetts Institute of Technology (MIT) era um dos suspeitos dos ataques a bomba durante a Maratona de Boston, na última segunda-feira. A caçada pelo segundo suspeito dos ataques à maratona, que também estaria envolvido no tiroteio dentro do campus que deixou um policial morto, continua.

Agência Estado

19 de abril de 2013 | 08h34

A polícia local afirmou que o suspeito dos ataques que apareceu em imagens de segurança divulgadas ontem usando um boné preto foi morto durante o tiroteio. A identidade dele não foi revelada. O segundo suspeito de envolvimento no incidente no MIT, que, segundo a polícia, apareceu nas fotografias da maratona usando boné branco, ainda está desaparecido. A polícia pediu que os moradores da região não saiam de casa.

"Acreditamos que ele seja um terrorista", declarou o chefe de polícia de Boston, Ed Davis. "Acreditamos que ele seja um homem que veio para cá para matar pessoas. Precisamos prendê-lo", acrescentou.

A violência no campus começou perto da meia-noite, no horário de Brasília, quando uma troca de tiros foi relatada. A polícia afirmou que dois homens atiraram e mataram um policial e em seguida roubaram um carro, fazendo o dono do automóvel como refém durante cerca de meia hora. A vítima foi liberada em um posto de combustível em Cambridge posteriormente e não ficou ferida.

Enquanto a polícia perseguia o carro supostamente roubado, artefatos explosivos foram atirados para fora do veículo. Um suspeito foi ferido e o outro fugiu, segundo a polícia.

"Nossa preocupação imediata foi com as pessoas daquela vizinhança", declarou o coronel da polícia estadual de Massachusetts, Timothy Alben. O suspeito fugitivo "deve estar armado e é considerado perigoso, portanto isso é uma ameaça para qualquer um que se aproxime dele", disse. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMITsuspeitoBoston

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.