AFP
AFP

Suspeito de atentado à Maratona de Boston é declarado culpado

Julgamento entra agora em nova fase na qual será decidido se Dzhokhar Tsarnaev receberá a pena de morte ou a prisão perpétua

O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2015 | 15h18


BOSTON - Um dos suspeitos do atentado à Maratona de Boston, em 2013, que deixou 3 mortos, Dzhokhar Tsarnaev, foi declarado culpado nesta quarta-feira, 8, pelo uso de "armas de destruição em massa" e outras 29 acusações por um tribunal federal de Massachusetts. A sentença será deliberada a partir do dia 13. 

Agora, o julgamento entra na fase um juiz federal determinará qual pena o americano de origem chechena receberá. Ele pode ser condenado à morte por injeção letal ou prisão perpétua por 17 das 30 condenações. 

A decisão do júri foi unânime após dois dias e 11 horas de deliberações.   O veredicto foi lido em um tribunal de Boston diante de Dzhokhar Tsarnaev, que assistiu impassível à leitura, uma a uma, de todas as acusações às quais se declarou culpado.

Tsarnaev foi considerou responsável pelo uso de uma arma de destruição em massa com a intenção de matar, assim como de assistir, planejar e executar a morte de quatro pessoas, três delas atingidas pelas bombas detonadas em 15 de abril de 2013 e um policial, que foi baleado dias depois durante uma perseguição. Ele também foi condenado por ferir 264 pessoas, agravada por 17 delas terem sofrido amputações graves.

A defesa de Dzhokhar Tsarnaev reconheceu no início do julgamento que seu cliente tinha participado do atentado, mas tentou convencer o júri de que o cérebro e autor intelectual dos ataques foi o irmão mais velho, Tamerlan, que morreu na perseguição policial que se seguiu ao ataque.

O atentado foi o pior cometido em solo americano desde o 11 de setembro. Três pessoas morreram e 246 ficaram feridas com a explosão de duas bombas caseiras montadas por Dzhokhar e seu irmão  em cestas de lixo a partir de panelas de pressão durante a corrida. / AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Dzhokhar TsarnaevMaratona de Boston

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.