AP
AP

Suspeito de atentado à Maratona de Boston se declara inocente em tribunal

Americano de origem chechena é acusado de 30 crimes, entre eles uso de arma de destruição em massa

Denise Chrispim Marin, correspondente em Washington,

10 de julho de 2013 | 16h44

(Atualizada às 18h30) O americano de origem chechena Dzhokhar Tsarnaev, um dos suspeitos do atentado à Maratona de Boston, em 15 de abril, disse perante a juíza federal Marianne Bowler, em um tribunal de Boston, ser inocente das 30 acusações que pesam contra ele, inclusive do uso de armas de destruição em massa. A audiência desta quarta-feira, 10, foi o primeiro passo para o julgamento de Tsarnaev.

O jovem, de 19 anos, foi acusado no mês passado de matar três pessoas ao detonar bombas de fabricação caseira, plantadas por ele e seu irmão mais velho no meio da multidão no dia 15 de abril. Ele também é acusado de matar um policial que fazia segurança em uma universidade durante a fuga.

O irmão dele, Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, morreu em tiroteio com a polícia em Watertown, subúrbio de Boston, durante operação de busca pelo atentado. Promotores federais estão avaliando se pedem a pena de morte para Dzhokhar.

Câmeras não foram autorizadas dentro do tribunal. A imprensa americana relatou que Tsarnaev, checheno naturalizado americano, surgiu com os cabelos longos e despenteados, sorriu para duas irmãs que estavam na plateia e disse ser inocente, com sotaque russo. Seus pais permaneceram na república russa do Daguestão.

Esta foi a primeira vez que Tsarnaev apareceu publicamente desde que foi preso em 19 de abril. A audiência durou apenas sete minutos. Na plateia, policiais da Massuchesetts University acompanharam a audiência em memória ao colega Sean Collin.

O veículo branco no qual Tsarnaev foi transportado da penintenciária onde está preso ao tribunal foi acompanhado de forte escolta policial. Na chegada, um inusitado grupo manifestava-se em favor do jovem. "Libertem Jahar", gritavam as pessoas, referindo-se a Dhzokhar por seu apelido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.