Suspeito de chefiar a máfia calabresa é preso na Espanha

Carmelo Gallico, líder de clã ligado à Ndrangheta, foi detido pelas autoridades italianas em Barcelona

Efe

27 de dezembro de 2011 | 19h42

ROMA - A polícia da Itália prendeu Carmelo Gallico, de 48 anos, suposto chefe do clã homônimo e pertencente à Ndrangheta, a máfia calabresa, que estava foragido da Justiça do país. A prisão de Gallico ocorreu em Barcelona, na Espanha, segundo a imprensa italiana.

 

Segundo informaram nesta terça-feira, 27, os meios de comunicação italianos, Gallico, que é acusado de pertinência à associação de malfeitores, se escondia em uma casa no centro de Barcelona. Sua detenção foi possível graças à colaboração da polícia calabresa e da polícia autônoma catalã.

 

A televisão local Reggio TV afirmou que Carmelo é irmão dos chefes do clã, Domenico e Giuseppe Gallico, atualmente na prisão. Os investigadores consideram que Carmelo teria passado a ocupar a direção da família mafiosa e já havia estado na prisão acusado de homicídio, mas foi posto em liberdade em fevereiro deste ano depois que a Corte Suprema anulou a pena.

 

Em 2002, enquanto estava preso, Carmelo Gallico recebeu o prêmio literário Bancarella nelle Scuole por sua resenha sobre o livro Troia, do escritor alemão Gisbert Haeft, e que assinou sob o pseudônimo Erasmus. 

Tudo o que sabemos sobre:
MáfiaItáliaEuropaNdranghetaGallico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.