Suspeito de corrupção, premiê romeno tem imunidade mantida pelo Parlamento

Dos 350 parlamentares, 230 votaram pela manutenção do benefício ao premiê; presidente do país pede renúncia de Victor Ponta

O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2015 | 12h04

BUCARESTE - O Parlamento da Romênia aprovou nesta terça-feira, 9, a manutenção da imunidade do primeiro-ministro do país, Victor Ponta, que é suspeito em uma investigação sobre corrupção.

Dos 350 parlamentares, 230 votaram a favor da manutenção do benefício e 120 votaram contra, depois de um pedido dos promotores para a retirada da imunidade. O primeiro-ministro é suspeito de acusações de corrupção, incluindo ser cúmplice de evasão fiscal em 2007 e 2008, um conflito de interesses e lavagem de dinheiro.

Após a votação, o presidente da Romênia, Klaus Iohannis, renovou o seu apelo para que Ponta renuncie e criticou a posição do Parlamento. "É uma prova de irresponsabilidade máxima e falta de respeito para o público", disse o líder, referindo-se à decisão.

À imprensa estrangeira, Ponta disse que considerou a possibilidade de renunciar depois de ter virado suspeito nas investigações, mas decidiu ficar em favor da estabilidade política. Ele nega que não esteja disposto a cooperar com as investigações. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
RomêniacorrupçãoParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.