Suspeito de crime na Suíça perdeu a família em acidente

Na noite de 1º de julho de 2002, um avião de passageiros russo e um cargueiro colidiram em pleno ar, sobre o sul da Alemanha. O controlador de vôo que estava em serviço no aeroporto de Zurique, naquela noite, era Peter Nielsen, um dinamarquês de 36 anos. Terça-feira, ele foi assassinado por um desconhecido, esfaqueado em sua casa e diante da mulher. Hoje, a polícia prendeu um homem que perdeu mulher e filho nesse acidente.O promotor Pascal Gossner diz que o homem, de 48 anos, negou o crime. Mas Gossner e a polícia acreditam que o assassinato deve ter sido um ?ato de vingança?. Ele recusa-se a identificar o homem e sua nacionalidade, mas deu a entender que o preso está na Suíça apenas desde o dia 18, seis dias antes do crime. A polícia procurava por um homem de estrutura pesada, entre 50 e 55 anos, falando um alemão de pé quebrado. O assassino fugiu a pé do local do crime.A colisão entre o avião russo e o cargueiro matou 71 pessoas ? 45 delas escolares russos premiados com uma viagem de férias à Espanha. Durante um serviço fúnebre em memória das vítimas, no local da queda, um homem chamava a atenção por seu ar irado ? o mesmo que foi preso hoje.O controlador de vôo, que estava em serviço sozinho na torre de Zurique porque um colega estava no intervalo, deu aviso apenas 44 segundos antes de que o avião da Bashkirian Airlines e o cargueiro DHL estavam muito próximos.Relatórios preliminares sobre o acidente disseram que o controlador determinou que o avião russo descesse, contrariando o sistema anti-colisão a bordo que o avião subisse. O piloto seguiu as instruções do controlador, mandando o jato direto para o cargueiro DHL, que também estava descendo, em obediência a seu sistema interno.Todos morreram no acidente ? os 69 passageiros do avião russo e os dois tripulantes do cargueiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.