Suspeito de esquartejar namorado será ouvido no Canadá

O ator pornô canadense suspeito de desmembrar um estudante chinês comparece nesta terça-feira à sua primeira audiência no Canadá após ter sido extradito da Alemanha, onde foi preso.

AE, Agência Estado

19 de junho de 2012 | 12h11

Luka Magnotta é suspeito de assassinar Jun Lin, de 33 anos, e enviar partes do corpo para partidos políticos canadenses e escolas. A cabeça ainda não foi encontrada. A polícia afirmou que vai perguntar onde ela está. Investigadores dizem que Magnota, de 29 anos, postou um vídeo na internet que o mostra fazendo sexo com o cadáver desmembrado.

O suspeito vai falar com um juiz via teleconferência a partir de um centro de detenção. Ele chegou ao Canadá na segunda-feira, sob forte esquema de segurança. Um avião militar foi usado para trazê-lo da Alemanha.

O porta-voz do Ministério das Relação Exteriores da China, Hong Lei, disse nesta terça-feira que o país está monitorando os acontecimentos e espera que seja feita justiça para dar à "vítima um resultado que possa deixá-la descansar em paz".

Magnotta e Lin eram namorados. Lin estava no Canadá estudando ciência da computação na Universidade de Concórdia. O crime foi descoberto no dia 29 de maio, quando um pé decepado foi enviado para a sede do Partido Conservador canadense.

Magnotta era procurado por assassinato em primeiro grau, profanação de cadáver, ameaça ao primeiro-ministro e de usar o correio para enviar material "obsceno, indecente ou imoral". Ele foi preso em um cibercafé em Berlim, lendo notícias sobre si mesmo, após passar alguns dias em Paris. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Canadácrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.