Suspeito de explosão alega inocência e acusa governo

Um californiano de 24 anos acusado de planejar explosões em um hotel da capital boliviana se declarou inocente nesta quinta-feira e acusou o governo do país de estar por trás dos ataques, que ocorreram em 22 de março e deixaram dois mortos. Triston Jay Amero é acusado juntamente com sua companheira, a uruguaia Alda Ribeiro, de 45. Ambos estão presos enquanto aguardam julgamento. "Sou acusado de um crime que não cometi", disse Amero a repórteres, enquanto era levado por policiais para uma reconstituição no local onde ocorreram as explosões. "Penso que o governo (do presidente) Evo Morales", disse. "Um bastardo com o Evo Morales poderia facilmente fazer isso...e culpar cidadãos norte-americanos e outros estrangeiros que vivem aqui", acrescentou. Morales, que tomou posse em fevereiro, inicialmente sugeriu que os Estados Unidos estivessem por trás dos atentados. "O governo dos EUA luta combate o terrorismo, mas nos manda terroristas", disse, na ocasião. O Departamento de Estado norte-americano reclamou, dizendo que segue com seus esforços para combater o terrorismo.

Agencia Estado,

14 Abril 2006 | 01h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.