Suspeito de planos de Londres era engenheiro aeronáutico

Kafeel Ahmed, um dos oito suspeitos presos pela polícia britânica em conexão com as tentativas de atentado terrorista em Londres e Glasgow, trabalhou como engenheiro aeronáutico de uma companhia indiana que prestou serviços para a Boeing e a Airbus, informou o nesta segunda-feira, 9. Segundo K.S. Susindar, porta-voz de Infotech Enterprises, com sede em Bangalore, Ahmed teria trabalhado para a companhia entre dezembro de 2005 e 2006. Susindar confirmou a informação após checar uma a lista de funcionários da companhia. O suposto terrorista teria diplomas como engenheiro aeronáutico em universidades da Índia e da Irlanda do Norte. A Infotech Enterprises não especificou em que projetos Ahmed trabalhou. A polícia britânica descreve Ahmed como um dos dois principais suspeitos ligados às tentativas de ataque. Ele seria o motorista de uma perua Cherokee carregada com litros de gasolina que invadiu a entrada do terminal do aeroporto de Glasgow no último dia 30. Com mais de 90% do seu coropo queimado, ele encontra-se internado em condições críticas. A informação sobre o trabalho de Ahmed na Infotech sugere que ele pode ter tido acesso a segredos de design de algumas das principais fabricantes de aeronaves. Ahmed teria trabalhado para a empresa no momento em que se converteu ao islamismo radical. Embora não haja detalhes sobre os projetos em que Ahmed trabalhou, a Infotech presta serviços para a Boeing, Airbus, Bombardier, e Pratt & Whitney. Outro importante cliente da empresa é a Secretaria do Interior britânica, que atualmente investiga os crimes em que Ahmed estaria envolvido. A Infotech ajudou o braço do governo britânico a criar um sistema de buscas no banco de dados das atividades criminais para os condados de Cornwall e Devon. "Ele era dedicado ao trabalho", disse Susindar em entrevista ao NYT, após conversar com empregados da Infotech que conheceram Ahmed. "E era muito dedicado a si mesmo. Não havia amigos ou outras coisas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.