Suspeito de seqüestro ligado à Al-Qaeda é preso no Iraque

Forças especiais do Iraque, apoiadas pelos Estados Unidos, capturaram o líder de uma célula da Al-Qaeda suspeito de ter participado, em junho, do seqüestro de dois soldados dos EUA que foram encontrados mortos com marcas de tortura, informou nesta quinta-feira, 28, o Exército norte-americano. Segundo comunicado dos EUA, o homem foi capturado em uma operação na terça-feira em Yusifiya, 15 quilômetros ao sul de Bagdá. "O terrorista é suspeito de ser responsável pelo seqüestro de dois soldados dos EUA em um posto de controle em Yusifiya, em junho de 2006", disse a nota. Os corpos mutilados dos soldados foram encontrados três dias após a ação, realizada no dia 16 de junho. Um terceiro soldado foi morto durante o ataque. "O terrorista também é suspeito de realizar vários seqüestros, assassinatos e outros crimes violentos na região de Yusifiya", disse o comunicado dos EUA.Mortes civisPelo menos 23 pessoas morreram e outras 73 ficaram feridas em três atentados com bombas realizados nesta quinta-feira, no centro e no leste de Bagdá, informaram fontes policiais.Dois dos três artefatos explodiram de forma quase simultânea em um mercado de brechós e outro de equipamentos domésticos no bairro de Al-Bab Al-Sharqi (centro), deixando nove mortos e 43 feridos, disse o capitão de polícia Wisam Ali.As duas bombas estavam em caixas de produtos comerciais. As explosões danificaram cinco veículos e várias lojas, acrescentou a fonte.Outros 12 civis morreram e 26 ficaram feridos na explosão de uma terceira bomba em meio a dezenas de pessoas que faziam fila perto de um posto de gasolina do leste de Bagdá para conseguir combustível para calefação, segundo fontes policiais.Uma outra explosão ocorreu no oeste de Bagdá, matando dois civis na hora e ferindo outros quatro. Segundo forças policiais, a bomba tinha como alvo uma patrulha policial.Os novos atentados ocorrem depois de a polícia iraquiana anunciar, na quarta-feira, a localização dos cadáveres de 50 pessoas com marcas de bala em diferentes áreas de Bagdá.Militares mortosSegundo a agência de notícias Associated Press, citando o Exército dos Estados Unidos, três soldados norte-americanos morreram em atentados a bombas na quarta-feira.Dois militares morreram quando uma bomba explodiu próxima ao posto de patrulha onde estes serviam, a sudoeste de Bagdá; um outro soldado morreu após uma bomba explodir na ala leste da capital iraquiana.Com 98 soldados americanos mortos até agora neste mês, dezembro é o segundo mês com mais mortes de militares americanos de 2006. O pior período foi outubro, com 105 mortos."Este tem sido um mês difícil para as forças de coalizão", informou o major William Caldwell, porta-voz das tropas dos EUA no Iraque. "E o mês ainda nem acabou", acrescentou.Ao menos 2.986 militares norte-americanos morreram desde o início da guerra no Iraque, em março de 2003, segundo uma contagem da agência de notícias Associated Press. Desse total, cerca de 2.391 morreram como resultado de ações hostis, segundo números divulgados pelos militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.