Reprodução / ABC News
Reprodução / ABC News

Suspeito de ser terceiro terrorista de aeroporto é liberado na Bélgica

Cheffou foi um dos seis detidos na quinta-feira em Bruxelas, todos suspeitos de estarem ligados aos atentados de terça-feira na capital belga; no sábado, ele foi acusado de liderar atividades de um grupo terrorista.

O Estado de S. Paulo

28 de março de 2016 | 19h56

BRUXELAS - A Procuradoria Federal da Bélgica informou nesta segunda-feira, 28, que Fayçal Cheffou foi liberado por falta de provas, após ser acusado de terrorismo e suspeito de ser o terceiro terrorista do aeroporto de Bruxelas.

"Os indícios que tinham conduzido à detenção de Fayçal C. não foram consolidados pela evolução da instrução em curso", afirmou o Ministério Público em comunicado, que explicou que a decisão de colocá-lo em liberdade foi do juiz.

Cheffou foi um dos seis detidos na quinta-feira em Bruxelas, todos suspeitos de estarem ligados aos atentados de terça-feira na capital belga. No sábado, ele foi acusado de liderar atividades de um grupo terrorista.

A Procuradoria Federal belga tinha mostrado prudência sobre sua identidade e sua suposta participação nos atentados. 

Os meios de comunicação belgas, por outro lado, publicaram que Cheffou poderia ser o terceiro terrorista do atentado no aeroporto de Zaventem, a pessoa que aparece com um chapéu na imagem feitas pelas câmeras de segurança dos três autores do ataque. Além disso, garantiram que se trataria de um jornalista independente que trabalhava em Bruxelas.

Das seis pessoas detidas na quinta-feira em conexão com os atentados de Bruxelas, só uma permanece em prisão preventiva, Aboubaker A.

A procuradoria anunciou hoje, por outro lado, o indiciamento de outras três pessoas (Yassine A., Mohammed B. e Aboubaker O.), mas sem esclarecer se têm relação com os atentados de Bruxelas ou de Paris.

Também foram indiciadas outras duas pessoas (Rabah N. e Abderamane A.), acusados de prepararem um atentando na periferia de Paris na semana passada. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.