Suspeito de tentar linchar palestino diz que, 'por ser árabe', vítima deveria morrer

"Por mim, ele poderia morrer. Ele é um árabe", disse ontem diante da Justiça de Jerusalém um dos sete adolescentes israelenses detidos por tentar linchar um palestino de 18 anos na cidade, na noite da quinta-feira. O preso afirmou que a vítima do espancamento ofendeu sua mãe. Segundo a polícia, centenas de pessoas assistiram à agressão, ocorrida na Praça Zion, em Jerusalém Ocidental. Outros três palestinos sofreram ferimentos. Jamal Joulani ficou gravemente ferido e foi levado ao hospital inconsciente. Ele passava pelo local com parentes quando foi atacado. O caso provocou revolta entre palestinos dentro e fora da cidade, onde judeus e árabes vivem em comunidades adjacentes, mas raramente mescladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.