Suspeito de tiroteio nos EUA foi detido duas vezes nos últimos quatro meses

Quatro meses antes do tiroteio que matou nove pessoas negras em uma igreja nos Estados Unidos, o principal suspeito até o momento, Dylan Roof, de 21 anos, foi detido em um shopping por porte de drogas, depois de ter caminho pelo estabelecimento vestido de preto e fazendo perguntas estranhas aos funcionários. Dois meses depois, ele foi novamente detido por ter violado uma restrição de um ano sem poder entrar no shopping.

Estadão Conteúdo

19 de junho de 2015 | 14h45

Na primeira vez, o relatório da polícia do dia 28 de fevereiro diz que Roof passou em duas lojas fazendo perguntas como quantas pessoas trabalhavam no local, o horário de fechamento da loja e o horário em que os funcionários deixavam o trabalho. O relatório afirma ainda que o jovem estava nervoso e que se sentia pressionado pelos seus pais para conseguir um emprego, embora não tenha se candidatado para nenhuma vaga.

O tiroteio ocorreu na noite de quarta-feira, na Igreja Metodista Episcopal Africana Emanuel, em Charleston, no Estado da Carolina do Sul. O jovem foi detido ontem, na Carolina do Norte, enquanto dirigia um carro na estrada de Shelby. A polícia de Charleston ainda está à procura do criminoso, que, segundo testemunhas, seria branco e teria cerca de 20 anos de idade, de acordo com o chefe da polícia da cidade, Gregory Mullen.

Hoje ainda, a governadora da Estado, Nikki Haley, disse que o responsável pelo tiroteio deve receber a pena de morte. "Nós absolutamente queremos que o criminoso seja penalizado com a morte", disse, em entrevista a uma emissora de televisão. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACharlestonsuspeitotiroteio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.