Suspeito por atentados pode deixar Austrália neste sábado

O indiano Mohammed Haneef está detido por suspeita de ligação com atentados fracassados no Reino Unido

Efe

28 Julho 2007 | 10h34

O ministro de Imigração australiano, Kevin Andrews, disse neste sábado, 28, que o médico indiano Mohammed Haneef, detido desde o dia 2 de julho na Austrália por suspeita de ligação com os atentados fracassados de junho no Reino Unido, pode deixar a Austrália esta noite.A declaração foi dada em entrevista a radio ABC.   Haneef, de 27 anos, foi solto pela polícia na última sexta-feira. A Promotoria retirou as acusações de "prestar apoio imprudente a uma organização terrorista". Mas, como o ministério de Imigração tinha cancelado o seu visto de trabalho, ele ficou confinado em sua casa, em Brisbane.Andrews disse que a licença de trabalho de Haneef não será renovada.   O advogado do médico, Peter Russo, tinha declarado esta manhã à imprensa que seu cliente queria voltar para a Índia, mesmo que recebesse a autorização para continuar morando na Austrália.   Haneef foi detido no aeroporto de Brisbane quando tentava embarcar num avião para ir à Índia, onde sua mulher tinha dado à luz.   Ataques fracassados   Em 29 de junho, dois carros-bomba foram desativados em pleno centro de Londres, e, no dia 30, dois homens jogaram um jipe carreado com bujões de gás - componente também presente nos veículos encontrados na capital britânica - contra o principal terminal do aeroporto de Glasgow.  

Mais conteúdo sobre:
AtentadosLondresmédico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.