Khaled Abdullah/Reuters
Khaled Abdullah/Reuters

Suspeitos de atentado contra presidente iemenita são detidos, informa revista

Prisão foi divulgada nesta segunda-feira por revista pró-governamental; Saleh segue internado

Efe,

13 de junho de 2011 | 15h32

SANA - As autoridades iemenitas detiveram suspeitos de envolvimento no atentado de 4 de junho contra o presidente Ali Abdullah Saleh, informou nesta segunda-feira, 13, uma versão digital de uma revista pró-governamental.

 

Veja também:

especialA revolução que abalou o Oriente Médio

 

Os resultados das investigações preliminares revelaram até agora "verdades graves e importantes" que têm a ver com a plataforma opositora do Encontro Partilhado, apontou um porta-voz do Partido do Congresso Popular Geral, do próprio Saleh.

 

Saleh está internado desde 5 de junho em um hospital militar em Riad, na Arábia Saudita, para onde foi levado no dia seguinte ao sofrer ferimentos na cabeça e no peito pelo impacto de uma bomba na mesquita do palácio presidencial em Sana, que causou a morte de sete oficiais dos serviços de segurança e deixou feridos vários altos cargos.

 

Em uma gravação de áudio transmitida horas após o ataque, Saleh acusou o dirigente tribal opositor Sadiq al Ahmar e seus irmãos, vinculados ao Encontro Partilhado, de estarem por trás do atentado e clamou vingança contra eles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.