Suspeitos de matar 10 soldados são detidos no Paquistão

Separatistas do Exército de Libertação do Baluchistão reivindicam a autoria

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

No Paquistão, a polícia deteve 14 suspeitos de participação em assassinato de 10 soldados durante emboscada armada na cidade de Quetta, no sudoeste do país, informou fonte oficial. A prisão ocorreu nesta sexta-feira, 15, e os assassinatos na noite anterior. O grupo separatista Exército de Libertação do Baluchistão (BLA) reivindicou a autoria do ataque. O grupo de soldados retornava de uma missão na fronteira com o Afeganistão para um destacamento militar em Quetta, quando foram surpreendidos por homens armados pouco antes da meia-noite. A cidade é capital da província sudoeste de Baluchistão e considerada reduto taleban. O secretário do Partido Nacionalista de Baluchistão (BNP), Agha Hassan Baloch, foi um dos detidos por "suspeitas sobre sua relação com o caso". Minérios As forças de segurança paquistanesas são freqüentemente atacadas por separatistas no Baluchistão, um território rico em minerais. Os rebeldes lutam por mais direitos políticos e econômicos. As autoridades os consideram "terroristas". Desde o verão do ano 2000, o BLA luta pelos direitos da minoria beluche e pela independência da região. O local está situado entre o Paquistão, Afeganistão e Irã. Em agosto de 2006, o assassinato do ex-governador Nawab Akbar Bugti, líder do minoritário Partido Jamhuri Watan, fez com que as forças de segurança paquistanesas iniciassem duras operações contra o BLA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.