Suspeitos de tentar explodir aviões em pleno vôo não serão julgados antes de 2008

Suspeitos de participação num complô para explodir aviões na rota entre Grã-Bretanha e Estados Unidos utilizando explosivo líquido não serão julgados antes de 2008 devido à grande quantidade de evidências originárias de diferentes partes do mundo que precisa ser examinada, disseram nesta segunda-feira promotores.Assim, o mundo terá de esperar por mais quase dois anos para ter dados suficientes para avaliar se a Polícia Metropolitana de Londres tinha razão quando anunciou que havia abortado um plano terrorista em escala inimaginável, o maior desde 11 de setembro de 2001.Advogados e especialistas em inteligência concordam que são inevitáveis adiamentos em julgamentos de casos de terrorismo devido à complexidade das evidências e aos inquéritos promovidos em diferentes regiões do globo - mas argumentam que a retenção de informação-chave por períodos prolongados pode comprometer a confiança do público na polícia e no governo.E manter um suspeito em uma prisão de segurança máxima e depois descobrir que ele é inocente também é algo sério, acrescentaram.Os oito homens acusados de conspiração para cometer assassinato e de preparação para cometer terrorismo participaram de uma audiência judicial nesta segunda-feira e ouviram de promotores que não devem enfrentar um julgamento até 2008.O promotor Colin Gibbs disse na Corte Criminal Central de Londres que não haverá julgamento antes de janeiro de 2008. Os oito, todos muçulmanos britânicos, participaram da audiência por videoconferência e nenhum pediu liberdade sob fiança. O juiz determinou que eles continuem sob custódia até uma nova audiência em 18 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.