Suspeitos de vender material explosivo são presos nas Filipinas

Duas pessoas suspeitas de participar de um atentado no mês passado foram detidas pela Polícia filipina enquanto tentavam vender componentes para a produção de explosivos, anunciou neste domingo o site do canal ABS-CBN. Golao Bawa e Ahadi Aliam, detidos no sábado, na província de Davao do Sul, negaram no entanto ter qualquer ligação com a bomba que explodiu num ônibus no dia 29 de março. O atentado, em outro povoado da província, feriu sete pessoas. Segundo a Polícia, foram apreendidos 60 detonadores e 14 quilos de nitrato de amônia, a mesma substância usada na bomba instalada no ônibus. Os dois detidos serão indiciados por posse ilegal de material explosivo. O Exército filipino havia atribuído o atentado ao grupo extremista Abu Sayyaf, incluído na lista de organizações terroristas dos Estados Unidos. No entanto, até agora não há indícios que liguem os dois detidos à organização. Há dois dias, as forças de segurança haviam apreendido cerca de 100 detonadores na localidade de Zamboanga, também em Mindanao. As autoridades acreditam que eles seriam utilizados em novos atentados na ilha, que fica no sul das Filipinas.

Agencia Estado,

16 Abril 2006 | 04h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.