AP
AP

Suspeitos por tiroteios que mataram três nos EUA são presos

Homens, que ainda não foram formalmente acusados, deverão se apresentar a um tribunal nesta segunda-feira, 9

AE, Agência Estado

09 de abril de 2012 | 09h57

TULSA, OKLAHOMA - A polícia do estado norte-americano de Oklahoma prendeu dois homens suspeitos de terem matado três pessoas e ferido outras duas gravemente numa série de tiroteios que aterrorizou a comunidade negra na cidade de Tulsa.

Veja mais:

link Oklahoma caça atirador que matou 3 pessoas 

Jake England, de 19 anos, e Alvin Watts, de 32, foram presos no domingo em uma residência ao norte de Tulsa. Ambos são brancos e as cinco vítimas, todas atacadas na sexta-feira, negras. Os suspeitos, que ainda não foram formalmente acusados, deverão se apresentar a um tribunal nesta segunda-feira, 9.

Os tiroteios aconteceram num momento de tensão para os negros norte-americanos. No final de fevereiro, um adolescente negro, Trayvon Martin, foi morto a tiros por um guarda comunitário em Sanford, na Flórida, num caso que reacendeu a questão do racismo e gerou manifestações em todo o país.

Investigadores de Oklahoma e agentes do FBI, no entanto, disseram que ainda é muito cedo para dizer se os ataques na região norte de Tulsa, uma área de população predominantemente negra, tiveram motivação racial.

A suspeita surgiu a partir de declarações supostamente postadas por England em sua página no Facebook, segundo um porta-voz da polícia, Jason Willingham. Numa atualização feita quinta-feira na rede social, England teria culpado um homem negro pela morte de seu pai, há dois anos, e postado uma ofensa racista. A página do suspeito foi tirada do ar na tarde de domingo.

England estaria também transtornado com o suicídio de sua noiva, em janeiro, afirmou Willingham.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtiroteiosprisões, Oklahoma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.