Swat mata pistoleiro que mantinha refém em Chicago

Carregando um pequeno arsenal para dentro de um movimentado escritório no centro da cidade, um pistoleiro acorrentou as portas de uma firma de advogados e matou três pessoas a tiros, antes que um franco-atirador da polícia o matasse, enquanto mantinha um refém sob mira.O impasse no Citigroup Center, de 43 andares, que também abriga uma estação ferroviária, fez com que trabalhadores saíssem correndo e deixou passageiros presos nas plataformas, no final da sexta-feira, 8. A polícia entrou por uma segunda porta da firma de advocacia, e um policial da Swat atingiu o pistoleiro a uma distância de 45 metros. Não houve negociação e o refém não sofreu ferimentos.Segundo as autoridades, o pistoleiro portava um revólver, uma faca e um martelo dentro de um envelope pardo, e se fez acompanhar por seguranças até o escritório da firma Wood, Phillips, Katz, Clark & Mortimer, no 38º andar.O agressor não era funcionário do escritório, mas exigiu ver uma das pessoas que acabou matando.Nenhuma das vítimas, todos homens, foi identificada. Uma quarta vítima, uma mulher, foi levada para o hospital com um tiro no pé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.