Tadjiquistão não quer ataques a partir de seu território

O Tadjiquistão descartou neste domingo a possibilidade de um ataque de represália ao Afeganistão a partir de seu território.?As notícias em alguns meios de comunicação sobre a utilização do território tadji por parte de um terceiro país para atacar campos militares talebans e terroristas internacionais no Agefanistão não têm fundamento?, disse a jornalistas Igor Sattarov, chefe de imprensa do Ministério das Relações Exteriores.Funcionários norte-americanos identificaram o suposto terrorista saudita Osama bin Laden como o primeiro suspeito dos ataques terroristas na terça-feira. Os governantes talebans abrigam Bin Laden.No início da semana passada, o primeiro-ministro do Tadjiquistão, Akil Akilov, indicou que seu governo consideraria o pedido dos Estados Unidos de que o país proporcionasse corredores aéreos para ataques contra o vizinho Afeganistão, mas só com a aprovação da Rússia e da comunidade internacional.A Rússia deixou claro que não aprovaria uma campanha dirigida pelo Ocidente contra o que Moscou considera seu próprio pátio traseiro.O Tadjiquistão, com as ex-repúblicas soviéticas do Turcomenistão e Uzbequistão, situa-se ao norte do Afeganistão. É um dos poucos países a partir dos quais se poderia lançar uma ofensiva militar.O Tadjiquistão e o Uzbequistão receberam grande número de tropas e aviões durante a ocupação soviética do Afeganistão, de 1979 a 1989. Atualmente, o Tadjiquistão depende em grande medida do apoio político e militar russo.O ministro russo da Defesa, Sergei Ivanov, declarou em estado de alerta as tropas soviéticas estacionadas no Tadjiquistão, informaram agências noticiosas russas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.