Tadjiquistão não quer basear ataques

O governo do Tadjiquistão anunciou nesta terça-feira que não permitirá que tropas americanas atravessem o seu território para atacar o vizinho Afeganistão, na operação ?Liberdade Duradoura?. O secretário do Conselho de Segurança da ex-república soviética, Amirkul Azimov, disse que o oficiais dos Estados Unidos presentes no país têm a tarefa de coordenar as ajudas humanitárias para a população afegã. Na segunda-feira, o Tadjiquistão abriu seu espaço aéreo a aviões americanos para os ataques ao Afeganistão, mas Azimov afirmou nesta terça-feira que as bases aéreas serão usadas para a distribuição de ajuda humanitária e "não necessariamente como ponto de partida para ações militares". As autoridades do Uzbequistão, que acolheram em seu território mil soldados americanos, lançaram nesta terça-feira uma campanha para tranqüilizar a população e justificar sua posição. O país foi ameaçado pelo Taleban por apoiar os Estados Unidos. "Não tenham medo, escolhemos o caminho certo", disse um professor a centenas de estudantes num teatro da capital, Termez. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.