Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Tailandês é preso tentando vender material radiativo

Agentes secretos da polícia tailandesa, seguindo pistas oferecidas por investigadores dos EUA, prenderam um homem vendendo material radiativo que poderia ser usado numa "bomba suja", que espalha radiação, anunciaram autoridades. Não foi informado se o suspeito teria vínculos com terroristas, mas a prisão ocorreu num momento de grande tensão na Tailândia. No começo da semana, a polícia afirmou ter desbaratado um complô para explodir embaixadas na capital.Policiais prenderam Narong Penanam, 44 anos, no estacionamento de um hotel de Bangcoc, depois de ele ter oferecido a agentes um recipiente de metal contendo, segundo ele, urânio, disse o coronel Pisit Pisutisak. Narong pedia o equivalente a US$ 240.000 pelo produto.Análises posteriores no Escritório da Energia Atômica para a Paz revelou que não se tratava de urânio, mas, sim, de césio-137, que tem várias utilidades médicas e industriais e pode ser usado em uma bomba para espalhar material radiativo por uma grande área."Originalmente, nos disseram que o material seria usado contra os Estados Unidos, mas constatamos que isso não é verdade", afirmou Gary Phillips, adido alfandegário da Embaixada dos EUA, à tevê tailandesa. Ele não entrou em detalhes. Narong confessou ter conseguido o receptáculo no Laos, um país vizinho. Ele foi acusado de posse ilegal de material radiativo, o que pode acarretar uma pena de um ano de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.