Tailândia começa batalha para recuperar confiança

Com sedutores anúncios de empresas aéreas, verbas milionárias para a promoção e poses da miss Tailândia junto a visitantes, Bangcoc inicia na sexta-feira a longa batalha para recuperar a confiança dos turistas. Os funcionários terminaram de testar os sistemas do aeroporto internacional Suvarnabhumi, que passou uma semana ocupado por manifestantes políticos, e o ministro dos Transportes, Santi Prompat, disse que o tráfego aéreo já pode ser normalizado. No auge, o protesto deixou 230 mil passageiros retidos. "O aeroporto está pronto e tudo está seguro. O que aconteceu é uma lição. Agora temos de agir rapidamente para recuperar a confiança", disse Santi. A economia da Tailândia depende muito das exportações e do turismo, e a interdição dos aeroportos já provocou prejuízos de centenas de milhões de dólares, embora não tenha havido danos físicos ao Suvarnabhumi ("Terra dos Sorrisos") - só à sua imagem. Por causa dos protestos, o ministro das Finanças, Suchart Thada-Thamrongvech, disse que o crescimento econômico de 2009 pode ficar em zero. Já o vice-premiê Olarn Chaipravat estimou que o desembarque de turistas caia pela metade no ano que vem. Mas na sexta-feira as autoridades do setor tentaram conter o pessimismo. "Poderíamos perder cerca de 1 milhão , não mais do que isso", disse Phornsiri Manoharn, diretora da Autoridade de Turismo da Tailândia, referindo-se à meta de receber 15,5 milhões de visitantes neste ano, aumento de 7 por cento sobre 2007. "Nossos turistas são, na maioria, viajantes de repetição. Conversei com muitos deles. Eles dizem que voltarão e que não estão preocupados". disse ela. O turismo gera 1,8 milhão de empregos diretos na Tailândia e representa cerca de 6 por cento do PIB. O fechamento do aeroporto afetou virtualmente todos os tailandeses. "Nunca entro em um avião, nada, mas quando o aeroporto reabrir, posso ganhar mais dinheiro", disse o taxista Winai Kratunam, diante do aeroporto recém-inaugurado, que custou 4 bilhões de dólares. Serirat Prasutanond, presidente interino da empresa Aeroportos da Tailândia disse na sexta-feira a jornalistas que o aeroporto - inclusive seus sistemas de segurança - estão sendo exaustivamente testados, e que não há problemas aparentes. "Veremos nosso primeiro vôo para os EUA amanhã . Se não estivéssemos suficientemente seguros, não poderíamos fazer isso." Há 547 pousos e decolagens previstos para sexta-feira no Suvarnabhumi, com pelo menos 100 mil passageiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.