Tailândia condena a 27 anos responsável pela explosão de bomba em hospital

Watana Pumret, de 62 anos, trabalhou para uma agência do governo e confessou o crime

O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2017 | 04h29

BANGCOC - Um tribunal de Justiça condenou, nesta quarta-feira, 6, a 27 anos de prisão o tailandês responsável pela explosão de bomba em um hospital militar de Bangcoc no dia 22 de maio deste ano que deixou mais de 20 pessoas feridas.

O engenheiro aposentado Watana Pumret, de 62 anos, trabalhou em uma agência governamental e foi declarado culpado de vários fatos, entre eles atentado em local público com intenção de matar, porte ilegal de armas e montagem de explosivos. Após a sentença, Pumret foi visto chorando. Ele abraçou a mulher e se recusou a responder perguntas dos jornalistas.

++ Polícia da Tailândia prende 15 pessoas por envolvimento em atentados com bombas

O juiz, que a princípio sentenciou o acusado à prisão perpétua, rebaixou a pena ao considerar que o tailandês ajudou no processo depois de declarar-se culpado das acusações. O homem foi detido no começo de junho e confessou a autoria do atentado depois de terem encontrado na casa dele, na capital tailandesa, suposto material para construir explosivos.

O ataque contra o Phramongkutklao Hospital coincidiu com o aniversário do golpe de Estado, em 2014, que derrubou o último governo democrático e colocou no poder o chefe da junta militar e atual primeiro-ministro Prayut Chan-ocha. A promessa do golpe era acabar com a corrupção, reformar as instituições e garantir a segurança.

++ Atentado com moto-bomba deixa mortos e feridos no Afeganistão

Depois disso, foi prometido realizar eleições no ano seguinte, mas as datas dos comícios foram se atrasando desde então, com a última proposta para novembro de 2018. A Tailândia viveu 12 golpes militares desde o fim da monarquia absolutista em 1932. /EFE e Reuters

Mais conteúdo sobre:
JustiçaTailândia [Ásia]Bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.