Divulgação
Divulgação

Tailândia denuncia Lady Gaga por mal uso da bandeira nacional

Em show, a cantora usou vestido de couro e conduziu uma moto, que carregava a bandeira tailandesa

15 de junho de 2012 | 09h28

BANGCOC - O Ministério de Cultura da Tailândia apresentou uma queixa formal à polícia contra Lady Gaga, a quem acusa de utilizar de maneira incorreta a bandeira nacional durante o show que apresentou em Bangcoc no último dia 25 de maio, informou nesta sexta-feira, 15, a imprensa local.

Veja também:

linkNa internet, Lady Gaga posta foto com olho roxo

linkTailandeses se irritam com tweet de Lady Gaga sobre Rolex falso

linkTemor com segurança leva Lady Gaga a cancelar show na Indonésia

Durante o espetáculo, a cantora chegou ao palco conduzindo uma moto e usando um vestido de couro negro, enquanto a bandeira tailandesa ocupava a parte posterior do veículo.

O Ministério denunciou que este ato foi "inadequado e feriu os sentimentos dos tailandeses". A reação dos fãs da cantora não demorou a inundar as seções de comentários dos sites dos jornais do país, qualificando a queixa de "absurda" e "hipócrita".

"Há muita hipocrisia neste país. O Ministério deveria dar uma volta por PatPong, Patong e Pattaya (lugares conhecidos por abrigar espetáculos sexuais) e ver qual é a cultura de entretenimento deste país", escreveu um leitor do site do "Bangcoc Post".

Antes da apresentação, a cantora nova-iorquina também foi o centro de uma polêmica por um comentário no qual deu a entender que o melhor de Bangcoc eram as falsificações. "Acabo de chegar a Bangcoc! Pronta para 50 mil monstros tailandeses gritando. Quero perder-me em um mercado e comprar um Rolex falso", escreveu Lady Gaga em sua conta no Twitter logo após aterrissar na Tailândia.

Maior polêmica causou a passagem da turnê por Filipinas e Indonésia, onde grupos cristãos e muçulmanos pediram o cancelamento de seus shows por causa das letras e roupas provocativas da cantora. 

 

Mais conteúdo sobre:
Lady Gagashowbandeiratailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.