Tailândia desconhece causas do acidente que matou 88 pessoas

Autoridades acreditam que visibilidade prejudicada pelo tempo ruim pode ser uma das causas do desastre

Associated Press e Reuters,

16 de setembro de 2007 | 16h07

Autoridades tailandesas disseram neste domingo, 16, que é cedo para estabelecer as causas do acidente com o avião da companhia aérea One-Two-Go Airlines que matou pelo menos 88 pessoas e feriu outras 42. Uma das hipóteses levantadas é que as condições do tempo podem ter contribuído o desastre.   Veja também:  Avião derrapa e pega fogo; 88 morrem  Veja mais imagens do acidente    "A visibilidade era ruim quando o piloto tentou aterrissar. Ele decidiu voltar, mas o avião perdeu equilíbrio e se acidentou", disse Chaisak Angsuwan, diretor general da Autoridade de Transporte Aéreo da Tailândia. Autoridades no local do acidente disseram que o avião McDonnell Douglas MD-82 se acidentou durante uma tempestade, escorregando na pista e se partindo em dois. Representantes de agências de turismo estrangeiras, que esperavam para receber os turistas no terminal, também examinavam ansiosamente as listas de passageiros. Parentes das vítimas do acidente com um avião com 130 pessoas a bordo começaram a chegar ao aeroporto da ilha turística de Phuket, na Tailândia, onde aguardavam notícias de seus familiares.   Sobrevivente levados aos hospitais locais descreveram cenas de horror enquanto tentavam escapar do avião em chamas. "Eu vi passageiros tomados pelo fogo enquanto passava por eles para sair do avião", disse o sobrevivente Parinwit Chusaeng, que sofreu queimaduras leves, ao canal Nation TV.   "O avião pousava embaixo de uma forte chuva e pousou rápido demais. Nunca vi nada assim. O avião desceu rápido demais", disse no hospital à Nation Television Nong Khaonual o tailandês que sobreviveu ao desastre com sua mulher. "Pouco antes de tocarmos a pista, sentimos o avião tentar levantar e ele derrapou para fora da pista", disse. "Minha mulher estava meio inconsciente e eu a puxei para fora pela saída de emergência. Havia um homem atrás de nós que estava pegando fogo." O vôo doméstico OG269 da One-Two-Go Airlines, empresa aérea de baixas tarifas, transportava 123 passageiros e sete tripulantes da capital tailandesa, Bangcoc, para Phuket, disse Monrudee Gettuphan, vice-presidente de comunicações corporativas da Autoridade de Transporte Aéreo da Tailândia. Havia 78 estrangeiros a bordo. O vice-governador de Phuket, Worapot Ratthaseema, disse que não podia confirmar imediatamente quantos estrangeiros morreram, mas afirmou que entre os mortos estavam passageiros irlandeses, israelenses, australianos e britânicos. Jikarat Wongtawan, funcionário do Bangkok Phuket Hospital, disse que 32 passageiros estavam no hospital e que 24 deles eram estrangeiros. Ele afirmou que entre estes estavam oito britânicos, cinco alemães, cinco iranianos, dois israelenses e pelo menos um australiano, um irlandês e um canadense. Os outros estrangeiros feridos estavam no Phuket International Hospital. Equipes de buscas usando máscaras carregavam corpos envolvidos em panos branco nas proximidades do aparelho. Foram encontrados pelo menos 88 corpos, que foram colocados num edifício do aeroporto. A televisão local mostrou partes do avião partido, do qual ainda saía fumaça, ao lado da pista. Este foi o mais grave acidente da aviação do país desde 11 de dezembro de 1998, quando 101 pessoas morreram quando um aparelho da Thai Airways se acidentou ao tentar aterrissar também durante um temporal em Surat Thani, 530 quilômetros ao Sul de Bangcoc. Quarenta e cinco pessoas sobreviveram. Baixo custo de operações A One-Two-Go Airlines é uma das muitas empresas aéreas de baixo custo e baixas tarifas criadas nos últimos anos após a liberalização do setor aéreo da Tailândia. A empresa começou a operar em dezembro de 2003 como subsidiária doméstica da Orient-Thai Airlines, uma operadora regional de baixo custo com sede na Tailândia. Segundo o site da companhia afirma que as duas empresas operam uma frota de seis Boeings 747 e sete McDonell Douglas MD-82. A One-Two-Go opera 168 vôos por semana, com 150 mil passageiros por mês em rotas domésticas e para Hong Kong e Coréia do Sul. O presidente-executivo da One-Two-Go, Udom Tantiprasongchai, disse que o MD_82 que se acidentou em Phuket era pilotado por um comandante estrangeiro e experiente. Os aviões foram obtidos por leasing no exterior e são completamente cobertos por seguro, disse ele à rede de televisão tailandesa ITV. A demanda de tailandeses e estrangeiros por vôos baratos estimulou a expansão massiva do setor aéreo de baixo custo na região na última década. Apesar de uma série de acidentes e alertas de segurança envolvendo empresas de baixo custo, especialmente na Indonésia, analistas dizem que não há evidências cabais que sugiram que elas sofram mais acidentes que as companhias tradicionais. Em março, a União Européia retirou a proibição das operações da tailandesa Phuket Air após a companhia atender às recomendações de segurança vindas de Bruxelas.

Tudo o que sabemos sobre:
AcidenteaviãoTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.