Tailândia dispersa manifestação islâmica; seis mortos

Forças de segurança dispararam tiros para o alto, usaram gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar uma multidão de 2.000 jovens muçulmanos no sul do país. Pelo menos seis pessoas morreram e dezenas ficaram feridas, segundo as autoridades e a mídia local. Depois deste mais recente surto de violência, foi decretado toque de recolher nas três provinciais mais meridionais do país - todas áreas de maioria islâmica no país dominado pelo budismo - e o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra dirigiu-se à cena para oferecer apoio moral. A situação promete inflamar os ânimos numa parte do país marcada por violência quase diária desde janeiro, quando supostos separatistas islâmicos atacaram um quartel do Exército, matando quatro soldados e roubando centenas de rifles. O problema desta segunda-feira teve início quando manifestantes foram à delegacia de polícia do distrito de Takbai para exigir a libertação de seis suspeitos acusados de roubo de armas. Uma multidão, estimada em 2.000 pessoas, passou a jogar pedras contra a delegacia e virou um caminhão.

Agencia Estado,

25 Outubro 2004 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.