Tailândia: eleição só será daqui a um ano, diz militar

O chefe da junta militar que assumiu o controle da Tailândia em um golpe de estado na semana passada disse que as eleições no país somente poderão ser realizadas daqui a um ano porque a paz e as reformas devem ser alcançadas primeiro.

AE, Agência Estado

30 Maio 2014 | 13h22

O comandante do Exército, general Prayuth Chan-ocha, enunciou os planos da junta nesta sexta-feira em seu primeiro discurso diretamente ao público desde o golpe de estado de 22 de maio.

Prayuth repetiu as advertências contra protestos ou a resistência de oposicionistas, dizendo que esses movimentos iriam atrasar o processo para trazer de volta a paz e a felicidade para o povo tailandês.

Ele explicou os planos da junta militar para administrar o país, enfatizando a estabilidade e transparência financeira. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
TailândiaGolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.