Tailândia emite 4ª ordem de detenção contra Shinawatra

Desta vez, ex-premiê sofre processo por irregularidades em um sorteio paralelo à loteria nacional

Efe,

26 de setembro de 2008 | 04h33

A Suprema Corte da Tailândia emitiu nesta sexta-feira, 26, uma quarta ordem de detenção contra o foragido ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, acusado de corrupção e abuso de poder e se nega a voltar ao país para ser processado. Fontes judiciais informaram que Shinawatra está agora sendo processado por irregularidades em relação à controvertida aprovação em 2003 de um sorteio paralelo à loteria nacional. No caso está envolvido seu porta-voz, Phongthep Thepkanchana, que nesta sexta-feira, 26, prestou depoimento, mas continua em liberdade sob fiança junto com dezenas de ex-membros do governo. Na saída do tribunal, Thepkanchana confirmou que Shinawatra e sua família, que atualmente vivem exilados no Reino Unido, não devem voltar à Tailândia para enfrentar as acusações. Há um mês, Shinawatra, sua esposa, Pojaman, e três dos seus filhos fugiram para Londres, depois que o casal não se apresentou a um dos tribunais que lhes julga por quatro casos abertos de delitos de desvio de fundos públicos. O multimilionário governou a Tailândia de 2001 a 2006, quando foi derrubado em um golpe de Estado incruento pelos militares.

Tudo o que sabemos sobre:
TailândiaThaksin Shinawatra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.