Tailândia extradita 'senhor das armas'

Decisão de enviar Viktor Bout para os Estados Unidos enfurece o Kremlin, que teme a revelação de segredos da inteligência russa

, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2010 | 00h00

BANGCOC

A Tailândia extraditou ontem para os EUA o traficante de armas russo Viktor Bout. A medida enfureceu Moscou, que esperava que o governo da Tailândia, onde Bout foi detido, continuasse com o malabarismo diplomático que vinha desempenhando há mais de dois anos para não confrontar os interesses da Casa Branca e do Kremlin.

Dois carros seguiram ontem para o aeroporto de Don Muang, onde logo depois um funcionário confirmou que Bout havia embarcado num avião americano fretado. Segundo o jornal Bangkok Post, 50 policiais, incluindo franco-atiradores, estavam no local para proteger o russo. O avião de 20 lugares, levava, além dos 2 pilotos, 6 funcionários da agência americana de combate às drogas.

A prisão de Bout, em março de 2008, desencadeou um disputa ferrenha entre Washington e Moscou, que não queria que o russo fosse levado a julgamento nos EUA. Douglas Farah, coautor de um livro sobre Viktor Bout, disse que ele "sabe muito sobre a inteligência russa desde que ela foi reestruturada", na última década. A Rússia qualificou a extradição como ilegal.

Protesto. "A partir de uma perspectiva legal, o que ocorreu não tem explicação nem justificativas racionais", declarou o Ministério de Relações Exteriores russo em um comunicado.

"Não há dúvida de que a extradição ilegal de Viktor Bout é consequência de uma pressão política sem precedentes exercida pelos EUA sobre as autoridades judiciárias e governamentais da Tailândia. É profundamente lamentável que as autoridades tailandesas sucumbam à pressão política externa e tenham se decidido por essa extradição ilegal", disse a nota.

Segundo as autoridades americanas, o russo dirige uma rede de tráfico de armas que abrange África, Afeganistão e América do Sul. Ele é acusado de vender armas a um grupo terrorista e de conspiração para o assassinato de cidadãos americanos.

Bout foi preso numa emboscada num hotel em Bangcoc, depois de acertar, segundo as autoridades, a venda de milhões de dólares em armas para agentes americanos disfarçados que se passavam por rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Bout, de 43 anos, ex-oficial da Força Aérea soviética, é conhecido pelo apelido de "Mercador da Morte", por fornecer armas para grupos armados em todo o mundo. / NEW YORK TIMES, TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

PARA LEMBRAR

O traficante russo de armas Viktor Bout foi retratado no cinema em 2005 pelo ator americano Nicolas Cage no filme O Senhor das Armas. No início do filme, a personagem de Cage diz: "Há mais de 550 milhões de armas de fogo em circulação no mundo. É 1 arma para cada 12 pessoas no planeta. A única questão é: como armamos as outras 11?" O Bout real fala seis idiomas, utilizou seis codinomes nos últimos anos e é apontado como um amplo conhecedor dos meandros da inteligência russa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.